Automatização da Bancada de Fluxo

Este projeto está integrado às necessidades de melhoria dos equipamentos instalas no Laboratório de Motores do Curso Técnico em Manutenção de Automóveis, e que são utilizados tanto para aulas práticas quanto para a realização das pesquisas do Grupo de Pesquisa CNPq “Avaliação do Desempenho de Motores de Combustão Interna – ADeMCI”. Nos motores de combustão interna, a troca de gases na câmara de combustão (admissão e escapamento) é responsável por pelo menos 70% da eficiência do motor, ou seja, as características de torque, potência, consumo, etc. que podem ser avaliadas em um motor de combustão interna estão intimamente ligadas à eficiência (ou falta dela) da entrada e saída de gases na câmara de combustão, através do cabeçote do motor. O elemento mecânico responsável pela movimentação e sincronização das válvulas durante os ciclos de admissão, compressão, combustão e escapamento, nos motores ciclo otto e ciclo diesel, é o eixo comando de válvulas. Conhecer as características de levante, duração, cruzamento, bem como as características de velocidades e acelerações do conjunto de válvulas é muito importante para poder avaliar o desempenho dos motores de combustão interna. Os fabricantes de motores não fornecem com precisão as características dos comandos de válvulas que equipam seus produtos, com vistas a evitar que características destes sejam facilmente modificadas ou adquiridas por outros fabricantes. Mudanças sutis entre comandos de válvulas que equipam a mesma família de motores podem promover diferentes características de torque e potência, além de consumo, sem, porém, caracterizarem um novo motor. Atualmente o levantamento das curvas de comandos de válvulas é realizada de forma manual, através de um processo laboroso e demorado,que além de ser ineficiente é bastante moroso e sujeito a falhas. O comando de válvulas a ser medido (levantado) é posicionado entre dois pontos, e neste é montado um transferidor angular. Um relógio comparador é montado no lobo do comando a ser levantado e a leitura de deslocamento linear é tomada associada à leitura de giro angular do comando, de forma a se ter uma curva para a admissão e uma curva para o escapamento. Vale lembrar que a cada duas voltas do virabrequim corresponde apenas uma volta do comando de válvulas, ou seja, a cada dois graus do virabrequim, temos apenas um grau de giro do comando. Este projeto visa desenvolver um sistema automatizado, empregando dois “encoders”, um linear e um angular, para fazer este levantamento das curvas dos comandos de válvulas, gerando de forma automatizada e rápida as curvas dos comandos de válvulas em estudo.

 

Anúncios